Bem-Estar Corporativo

As principais causas de ansiedade no trabalho e como evitá-las

22 de dez. de 2023
Última alteração 22 de dez. de 2023

Em 2017, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já havia classificado o Brasil como o país mais ansioso do mundo. Dados recentes mostram que 26,8% dos brasileiros receberam diagnóstico médico de ansiedade. E em cinco anos, o número de afastamentos do trabalho em razão de transtornos mentais cresceu mais de 50%.

Os números sugerem que é preciso melhorar a qualidade de vida no universo corporativo, caso contrário, as empresas podem experimentar perdas financeiras, queda na produtividade e aumento na quantidade de pedidos de demissão.

É recomendado que a sua estratégia de gestão de pessoas contemple medidas para viabilizar um ambiente saudável, evitar e combater os episódios depressivos, o estresse crônico e a ansiedade no trabalho.

Como construir uma força de trabalho saudável.png

O que é ansiedade?

A ansiedade é uma reação natural do corpo, em razão do medo ou da preocupação com situações desconhecidas. É um sentimento instintivo, relacionado à necessidade de sobrevivência.

Entretanto, quando as pessoas não conseguem lidar com as cobranças e canalizar suas emoções, a ansiedade torna-se patológica, pode se transformar em um problema grave e comprometer o bem-estar e a qualidade de vida dos indivíduos.

A ansiedade está ligada à incerteza e à imprevisibilidade. Em outras palavras, o cérebro tenta se antecipar a eventos futuros, simulando possíveis cenários, normalmente pessimistas, podendo desencadear no corpo reações de inquietação, taquicardia, irritabilidade ou tensão muscular.

Quais são as principais causas da ansiedade no trabalho?

A ansiedade no trabalho pode ter diferentes origens. As 5 principais são:

  1. Sobrecarga de atividades

O excesso de atribuições associado a metas pouco realistas e a prazos inadequados faz com que os níveis de preocupação e angústia dos colaboradores aumentem. O medo da demissão ou o receio de um feedback negativo (mesmo que irreais) podem despertar a ansiedade e ocasionar a redução no desempenho profissional.

Lideranças precisam pensar em estratégias mais flexíveis para diminuir o volume de tarefas. Organizar melhor a rotina, priorizar os assuntos urgentes ou estabelecer um programa de job rotation orientado ao desenvolvimento dos colaboradores são algumas boas práticas.

  1. Falta de reconhecimento profissional

Uma pesquisa revelou que 89% das pessoas se queixam de estresse por falta de reconhecimento no trabalho. Além do impacto na saúde, deixar de valorizar e agradecer à sua equipe pelas contribuições pode gerar desmotivação e instabilidade emocional.

reconhecimento profissional é uma ferramenta poderosa para mostrar aos colaboradores que eles estão no caminho certo. Demonstrar apreço também contribui para minimizar os índices de turnover (rotatividade de pessoal) na sua empresa.

  1. Clima organizacional ruim

Quando os colaboradores têm a percepção de que a empresa não se preocupa com seu bem-estar, não adota uma estratégia de gestão dos conflitos no trabalho ou não disponibiliza informações e equipamentos adequados para a execução das atividades, a tendência é se sentirem frustrados e inseguros.

Um clima organizacional ruim dificulta a relação com os colegas e não fornece perspectivas claras sobre as oportunidades de crescimento profissional. Ambientes pouco otimistas são propícios para a ansiedade se instalar.

  1. Lideranças despreparadas

Um levantamento apontou que 50% das pessoas pedem demissão por causa do chefe, e existem diversas razões para tal: favoritismos, assédio moral e até o uso dos recursos da empresa para objetivos não relacionados ao trabalho. Outro relatório mostrou que quatro a cada dez profissionais sofrem de estresse ou ansiedade devido a uma gerência despreparada.

Cabe ao RH priorizar o desenvolvimento da liderança e assegurar que os gestores sejam motivo de inspiração para suas equipes. Conduzir treinamentos com foco no aprendizado ou no aperfeiçoamento de habilidades comportamentais (ou soft skills) é uma ótima iniciativa.

  1. Employee Value Proposition (EVP) insatisfatório

employee value propositon (ou proposta de valor ao colaborador) é um pacote que contempla todas as vantagens (tangíveis ou não) que alguém terá ao ser contratado por uma empresa. Além de um salário atraente, benefícios competitivos e possibilidades reais de progressão na carreira, é aconselhado agregar um bom programa de bem-estar ao seu EVP.

Em tempos de alta incidência de burnout, estresse crônico e ansiedade no trabalho, 87% dos profissionais não hesitariam em deixar uma empresa que não prioriza o bem-estar, segundo o Panorama do Bem-Estar Corporativo 2024.

O que fazer para diminuir a ansiedade no trabalho?

Se não tratada, a ansiedade no trabalho pode evoluir para outras doenças ocupacionais mais severas, como a depressão, o estresse crônico e a síndrome de burnout. Algumas ações para ajudar a diminuir a ansiedade em sua empresa são:

Priorizar a comunicação assertiva

Engajar os gestores como comunicadores eficazes, autênticos e flexíveis é prioridade para 60% dos líderes de RH, conforme a Gartner. A gerência deve transmitir confiança, praticar a escuta empática e encorajar os colaboradores a pedir ajuda sempre que necessário. Isso inclui delegar tarefas ou negociar prazos como formas de evitar o estresse e preservar o bem-estar da equipe.

Estabelecer um cronograma de reuniões periódicas, instituir canais de diálogo via aplicativos de mensagens e conduzir pesquisas de pulso são algumas sugestões para promover a comunicação assertiva.

Implementar programas de apoio à saúde mental

A exemplo do Janeiro Branco, campanha global de conscientização sobre os cuidados com a saúde mental, a sua empresa também pode adotar medidas internas para apoiar o bem-estar dos colaboradores.

Reforçar a necessidade de pausas regulares, oferecer acesso a  suporte psicológico, incentivar a participação em sessões de ginástica laboral, desenvolver ações de combate ao sedentarismo ou de cessação do tabagismo são ideias de fácil execução.

Viabilizar a interação social

Como área responsável pelo treinamento e capacitação, o RH pode pensar em alternativas de aprendizado em que os colaboradores consigam desenvolver habilidades úteis para gerenciar o estresse como, por exemplo, a inteligência emocional e a capacidade de organização.

Aproximar as pessoas e melhorar a conexão entre elas também é outra maneira eficaz de afastar a ansiedade. Atividades de team building fomentam a cooperação, o trabalho em equipe e a criatividade.

Como um programa de bem-estar pode ajudar a reduzir a ansiedade no trabalho

A ansiedade no trabalho é indício de que algum aspecto precisa ser ajustado. Como visto, as causas podem ser variadas e cabe ao departamento de Recursos Humanos, em parceria com as lideranças, buscar soluções para promover a saúde e a qualidade de vida dos colaboradores.

90% das empresas que oferecem programas de bem-estar às suas equipes experimentam um retorno sobre o investimento (ROI) positivo. Em outras palavras, há redução nos custos com assistência médica e queda nos gastos com os processos de atração e retenção de talentos.

O Gympass pode ajudar você a construir um ambiente de trabalho mais seguro, acolhedor e menos ansioso. Converse com um de nossos especialistas e descubra como apoiar o seu time em suas necessidades de saúde e bem-estar.

Fale com um especialista em bem-estar_BR2.png

Referências


Compartilhe


Gympass Editorial Team

A Equipe Editorial do Gympass traz aos líderes de RH as informações necessárias para promover o bem-estar dos colaboradores. Em um cenário profissional em rápida evolução, nossas pesquisas, análises de tendências e guias práticos são ferramentas importantes para levar cada vez mais satisfação e saúde ao ambiente de trabalho.